23 de março de 2015

prosa poética

da série
Breves Ensaios Recortados para Pulso

Dezessete
Visões. Tu. Montanha imaginária. Logo superfície. Lago evaporado nos pulmões. Pânico de vulcões. Rima desprotegida. Planície. Delicadeza em trégua. Armazenada. Chega. A hora insaciável do adjetivo. Central. Azul escurecendo. Dadaísmo vivo com recortes de pulsos. Falsos os teus. Em meus. Sinais. Nuvem terminal. Urso polar. Carícias de granizo. Não. Ferro. Ferrugem convertida em vidro. Agora sal. Lavando os pés após. Pregos. Apegos. Silêncio em construção. Tesouras de dormir. Deus. Por que? Parque de aversões. Anestesia leucêmica. Karma. Amor clichê. Alma transversa. Flauta. Falta. Peixe na pedra dolorida. Ex-camas. Letras carnívoras. Desejo em cânfora. Sonhos empalhados. Nuncas de metal. Animal de desistir. Eu. Violinos de estimação. Vi.  Visões. Antes dos olhos.