9 de janeiro de 2015

Banho de Mar


Gostava de abrir os olhos embaixo d'água
e chorar em estado de prece. Sem pressa nos pulmões,  embrulhava o corpo no mergulho gasto da fé. A mesma fé que nunca lhe prometera nada. Queria solucionar a alma e suas fisgas. Solicitava reverter soluços em peixes que sonhassem para ela. Sem anzol.