23 de julho de 2012



Tenho tempos de não pertencer.
É sempre no começo do equívoco
quando as desculpas acumulam-se na espera
e solicito-me em retirada.
Tenho tempos de moldar o sal...
Limpar o meu quintal
e perceber que os limões amadurecem.
Eles nunca duvidam.

Nenhum comentário:

Postar um comentário